Bem-vindo!

BEM-VINDO! Você esta convidado a participar desta conversa comigo. Vou contar, informar, reclamar, desabafar, avisar, ou seja, será o nosso espaço para tratarmos dos mais variados assuntos. Por você estar aqui, OBRIGADA!


domingo, 9 de noviembre de 2008

PÉROLAS DE CARACAS

Todos sabemos a dificuldade que é dominar um novo idioma. O nosso grupo, por exemplo, é muito heterogênico no que se refere ao nível de domínio da língua espanhola. Alguns possuem proficiência; outros já avançaram bastante, mas ainda sentem algumas dificuldades gramaticais, em especial com os verbos e os pronomes; outros arranham um portunhol suficiente para a comunicação de sobrevivência; e, outros, ainda, garantem não saber falar nehuma palavra em espanhol. No entanto, como se vive em Caracas, todos são obrigados a se aventurarem no espanhol, o que produz algumas equivocos incríveis e muito divertidos.

Durante um almoço nesta semana, lembrando-nos de alguns destes momentos, e por sugestão do pessoal reunido, decidimos criar um espaço, em nosso BLOG, para registrarmos essas PÉROLAS DE CARACAS. Os autores, por motivos obvios, não serão identificados.

Solicitamos que todos colaborem, enviando suas histórias e garantimos que a identidade dos autores serão guardadas a sete chaves. O objetivo é divertir-nos e mostrar que todos estamos sujeitos aos mais diferentes tropeços na língua espanhola. Portanto, todas as semanas estaremos publicando aqui as PÉROLAS DE CARACAS.


Vá aos comentários e terá todas as PÉROLAS DE CARACAS até agora publicadas.

5 comentarios:

ayabrag dijo...

Duas amigas conversavam sobre as peculiaridades da língua espanhola. Aquela que está morando há mais tempo em Caracas diz para a que acaba de chegar:

- Em espanhol, B ou V têm sempre o som de B. Para eles, vaca se diz baca.

Passados alguns dias, a recém chegada a Caracas está no super procurando por ovos, que em espanhol, diga-se de passagem, é HUEVOS. Lembrando da regra ensinada pela amiga, pergunta ao rapaz, toda segura de si:

- Por favor, hay obos?

ayabrag dijo...

Vocabulário depende de memorização, não tem jeito. Mas, muitas vezes a nossa memória nos prega umas peças e trocamos tudo, criando a maior confusão.

Três casais saem para jantar. O jantar foi ótimo: comida boa, ambiente agradável e sobremessa pecaminosa. Na hora do cafezinho, um dos comensais repara que o garçom havia esquecido a colherzinha (cucharita ou cucharilla). Em bom e alto tom, ele pede:

- Señor, una cucaracha, por favor.

ayabrag dijo...

Olha, vou lhe ensinar uma regra bem fácil: as palavras que em português são com F, em espanhol muitas vezes passam a ser com H.
- Como assim, não entendi.
- Ora, em português é forca e em espanhol fica horca; fada fica hada; entendeu?
- Claro, claro.

Naquele mesmo dia, durante a janta, percebendo que faltava uma faca (cuchillo, em espanhol) na mesa, ela pede para a senhora que trabalha em sua casa:

- Señora Carmina, una haca, por favor.

ayabrag dijo...

O casal estava hospedado já há duas semanas no Hotel Tamanaco e, nessa manhã, preparavam-se para mais um dia de muitas voltas de carro com a corretora, em busca de apartamento para alugar. Enquanto desciam para tomar o café:
- Bem, como estão tuas aulas de espanhol?
- Difícil, mas estou indo. Acho que nunca vou aprender essa língua.
- Claro que vais, só deves te soltar. Deves começar a falar em espanhol, mesmo que com erros.
- É, tens razão, devo tentar.
Quando chegaram ao salão do café, a senhora, dirige-se para a ilha onde estava o rapaz que fazia os omeletes, cachapas e ovos fritos (huevos fritos). Lembrando da conversa com seu esposo, decidiu seguir os seus conselhos: tentaria falar em espanhol. Frases curtas e diretas. Poucas chances de erros, pensou.
-“¿Qué prefiere, señora?”, perguntou o rapaz.
-“Dos ojos (olhos) fritos”, respondeu ela, cheia de orgullo.

ayabrag dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.