Bem-vindo!

BEM-VINDO! Você esta convidado a participar desta conversa comigo. Vou contar, informar, reclamar, desabafar, avisar, ou seja, será o nosso espaço para tratarmos dos mais variados assuntos. Por você estar aqui, OBRIGADA!


jueves, 6 de noviembre de 2008

DEPOIMENTOS

Dentro deste título, pretendemos colocar todas as colaborações de vocês que forem de cunho depoente e que narrem sobre suas experiências na Venezuela ou em outro lugar. Para tornarmos o nosso blog mais agil para as consultas, guardaremos nos comentários desta entrada, tais textos. Lembramos que tais textos são de inteira responsabilidade de seus autores.

3 comentarios:

ayabrag dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
ayabrag dijo...

Patricia disse:
De longe, vejo Caracas!!
Aqui estou eu, no Rio de Janeiro, e sem demagogia, com um pouquinho de saudades dessa terra venezuelana.

Fico feliz em ver as primeiras reações ao blog. Acho, realmente, que vamos poder trocar muitas experiencias e aprender com todo o grupo.

Penso também em que vamos incluir no blog: dicas para saúde, cuidados a tomar, dicas sobre pessoal de serviço, o que comprar, onde comprar. Quem sabe receitas (rápidas, por favor), como aquelas dadas por Ana de Walter e Fatima de Fabian. ... Tanta coisa!



Mas , por enquanto estou de recesso, e da minha janela se vê o Corcovado, o Redentor, que lindo...
Publicado por pblower en 10:20 0 comentarios

ayabrag dijo...

ANA RITA GUERRA DIZ:
É importante estocar alimentos antes das eleições!

Estamos aqui em Caracas já faz quase dois anos. Chegamos no dia 04 de janeiro de 2007 e vivemos aqui nesta cidade dois momentos dramáticos: O fechamento do canal de TV RCTV ,em meados de 2007 e no final do ano, 02 de dezembro, o referendo para alterar a constituição venezuelana. Foram momentos de muita instabilidade em todo o país e de muitos protestos. No fechamento do canal de televisão tínhamos medo de sair nas ruas porque frequentemente nos deparávamos com protestos de estudantes e universitários. Várias vezes, quando ia para o mercado em Santa Fé, tinha que voltar para casa porque os revoltosos haviam fechado a entrada para Santa Fé e tudo estava congestionado. Nessa época o shoping Market Center de Valle Arriba ainda não estava aberto e poucos mercados estavam abastecidos. Tivemos panelaço no nosso edifício...Era ensurdecedor o som que faziam com aquelas panelas. Os carros passavam nas ruas buzinando todo o tempo. Isso por vários dias. Se eu não tivesse estocado alimentos em casa teríamos passado necessidade. E temos dois filhos adolescentes conosco aqui em Caracas.
No referendo de 02 de dezembro também não foi muito diferente. A escola americana onde nossos filhos estudam suspendeu as aulas por três dias, antes da votação do referendo. Na verdade essa foi uma determinação da secretaria de educação em toda Venezuela. Se temia o pior. Três meses antes do referendo começou a faltar muitas coisas nos mercados. Não tínhamos leite de espécie alguma. Faltava açúcar, feijão e até papel-higiênico tivemos que estocar dentro de casa. Quando foi chegando perto da votação o clima dentro de Caracas foi ficando tenso e um belo dia acordamos e encontramos vários muros pichados com os dizeres: "Queremos leche e no fuziles." Ficava nas filas dos mercados esperando leite que não chegava. Um dia, uma amiga muito querida que hoje está no Panamá, tirou uma foto das vitrines de carnes dentro do mercado Excelcior Gama, pois estavam literalmente lavadas e limpas. Não havia nem frango, nem carne, nem pescado.
Depois do referendo o abastecimento só foi normalizado depois de 15 dias, quando os caminhões que abastecem a cidade puderam descer para Caracas.
Por isso é muito importante que, desde já, possamos abastecer nossas casas com alimentos. Hoje, quando fui no mercado Plaza, não encontrei nem carne e nem frango. O gerente do mercado me disse que ontem o mercado estava cheio de gente e que tudo que havia de carne e frango foi comprado. Todos estão estocando alimentos preocupados com as eleições do final de novembro. Vamos ficar mais cautelosos nesse período. Um grande abraço.
Ana Rita Guerra.